Home > Análises > Análise: Tony Hawk’s Pro Skater 1+2 é tudo que os fãs queriam

Análise: Tony Hawk’s Pro Skater 1+2 é tudo que os fãs queriam

Análise | Tony Hawk’s Pro Skater 1 + 2

Dificilmente uma pessoa que jogou videogame nos anos 2000 não teve contato com Tony Hawk’s. A série de skate mais famosa do mundo tem 21 anos de história e mais de 20 games, se consideramos todas as versões já lançadas no mercado. Após alguns deslizes – que deixaram os fãs frustrados – estava na hora de “Toninho Falcão” retomar seu posto de glória e estrelar um jogo a sua altura. Confira a seguir a nossa análise de Tony Hawk’s Pro Skater 1 + 2.

De volta aos velhos tempos

O novo THPS 1+2, como o nome sugere, traz os dois primeiros títulos da franquia. Não faltou absolutamente nada: os skatistas que marcaram a infância de muita gente estão de volta, os stages clássicos com um visual incrível, trilha sonora original com a adição de novas músicas que se encaixam perfeitamente no ritmo do game, construtor de pistas e partidas multiplayer online e local.

E como funciona a campanha? Você tem o controle de um skatista, que pode ser um dos profissionais ou um avatar criado pelo jogador. Todo o seu progresso é acumulado no seu perfil, ou seja, os pontos adquiridos em THPS 1 e THPS 2, para elevar o personagem, vão para uma única conta, o que facilita a “tunagem” dos skatistas.

O esquema para progredir na campanha é um velho conhecido nosso. Assim como nos títulos originais, é preciso cumprir os diferentes objetivos de um stage para liberar o próximo. Embora os mapas sejam pequenos há muito o que se fazer, e é necessário voltar no mesmo cenário várias vezes para concluir tudo.

Fácil de jogar, difícil mestrar

A Vicarious deixou a jogabilidade do mesmo jeito que era nos anos 2000 (ainda bem!). É claro que houve um refinamento para adaptá-la aos comandos dos controles de hoje, mas apenas isso. Logo a diversão já é garantida nos primeiros momentos e qualquer jogador consegue executar combos com poucos minutos de jogatina.

Quando o assunto é o modo online temos um outro cenário. Para vencer as partidas é necessário praticar bastante e entender como interligar os combos, além de saber quais combinações vão te levar a uma queda, por exemplo. Então, mãos à obra!

Qualidade do multiplayer

Como dito anteriormente existem duas formas de se jogar o multiplayer: local e online. O modo online é dividido duas modalidades, o “Rolê”, para quem prefere uma partida casual e o “Competitivo”, para os jogadores que buscam o melhor placar no leaderboards. Embora dê para cumprir objetivos que destravam itens da loja e dão mais dinheiro, não dá para negar que as limitações do online podem deixar o modo repetitivo, tendo como único atrativo, depois de um tempo, a busca pelo mais alto placar. Quem se cansar poderá migrar para as pistas online, onde é possível upar cenários criados pelo jogador e explorar os stages feitos pela comunidade que, com certeza, deve ser o conteúdo mais atrativo a longo prazo.

Veredito

Tony Hawk’s Pro Skater é um marco na indústria dos games e o símbolo de uma geração de jogadores. THPS 1+2 resgata o espírito da franquia sendo um presente para os fãs de carteirinha e, ao mesmo tempo, atrativo para novos players. Essa remasterizarão mantém todo os elementos que embalavam os games dos anos 2000, como lista de objetivos, scores e jogabilidade arcade, ou seja, não se trata de um jogo realista, mas de um jogo divertido onde a maior satisfação é se superar a medida em que se ganha mais experiência.

Nota: 9

Uma cópia para Xbox One foi cedida pela Activision para a realização desta análise.

Sobre Gabriel Magalhães

Graduado em psicologia e marketing, é jornalista de games desde 2015. Começou a jogar aos 4 anos, em um Dynavision (Dynacom) e, desde então, é um fã do mercado de jogos eletrônicos.
x

Veja Também

análise pacer

Análise | PACER

Análise | PACER É difícil encontrar um gamer que cresceu na década de 90 e não tenha tido contato com ...